Você me encontra também no Facebook e no Twitter

12 de fevereiro de 2009

PINTOS E VAGINAS




É bobagem supor que um homem entenda seu pinto apenas pelo único motivo de ter nascido com o referido equipamento.

Os problemas do homem com seu pinto são três: tamanho, design e competência.

Para alguns, é uma relação cheia de estranhezas e inseguranças, uma vez que o pinto não é sempre um companheiro do homem. Ele tem vida própria e nem sempre é parceiro. Pior, ele é o chefe.

Todos gostariam que homem e pinto atuassem em uma dupla, como Emanuel e Ricardo - um levanta e o outro bate, um defende e o outro coloca. Mas às vezes eles estão mais pra Tom e Jerry, um sacaneando o outro.

Cada um tem as suas queixas.

O homem diz: "o pinto horas é lento, noutras precipitado".

Você passa a noite conhecendo uma garota, tendo um papo agradável e na hora de despedir dá um abraço apertado. Ela - pelo simples motivo de ter seus pulmões pressionados - solta um leve gemido e a reação é instantânea. Ela sente o aumento do volume - tomara! - e dá uma pequena recuada. Pronto! Talvez suas chances tenham se liquidado por conta dessa afoiteza.

Em outra oportunidade, você chegou lá, e a mulher que você tanto deseja está dizendo as palavras que você sonhou ouvir: "Anda, mete ni mim"! E ele sem a menor consideração, disperso, preguiçoso, diz: "Não sei se é uma boa idéia".
O problema é que não adianta você tentar explicar que ele agiu por vontade própria. Ela não vai acreditar que ele é o chefe.

Dificilmente você terá outra chance, porque a segunda coisa que a mulher mais odeia é que o homem falhe na hora H.

Em compensação, ele se pudesse diria: "porra, você me mete em cada uma"!

Mas, não são só os homens que têm problemas com as suas genitálias.

Algumas mulheres não gostam da sua vagina. Algumas mulheres preferiam ter um pinto.

Eu não concordo com a idéia de que "a mulher é a parte chata da vagina". Além de machista ela é injusta com a mulher... e com a vagina.

Pensando nesse assunto me propus um desafio mental - apenas mental - sobre a seguinte questão: como nós homens lidaríamos com uma mulher sem vagina?

Eu sou um homem do tipo heterossexual versátil, ou seja, que tem preferência por mulheres, mas que no frigir dos ovos e sustentado por um direito garantido pelas leis de Darwin, pode imaginar muitas formas de diversão.

Esse papo de heterossexual convicto é balela. Depois de dinheiro, a coisa que eu mais perdi na vida foram convicções.

Mas, voltando ao desafio mental: como nós homens lidaríamos com uma mulher sem vagina?

Fiquei imaginando uma sem a outra e a outra sem uma e cheguei à conclusão que elas se completam como o pão e a carne.

Mulher sem vagina é uma conquista sem recompensa. A vagina é uma medalha olímpica do amor, mesmo que for de bronze.

E a vagina sem mulher?
É uma idéia absurda! Imagine, como você transportaria? Numa pochetta?
E se você fosse viajar e não pudesse levar? Teria que pedir a um vizinho: "por favor, ágüe as plantas, dê comida para o cachorro e brinque com a minha vagina".

Como está, está bom.

(Escrevi este texto especialmente para mandar um stand-up na Noite da Canja, hoje no Mezcla)