Você me encontra também no Facebook e no Twitter

29 de junho de 2016

SUPERPORCARIA

Batman vs Superman é uma das maiores porcarias que o cinema já produziu. Maiores pelo custo, pelo tamanho (vi a versão estendida de 3 horas!), e pela péssima qualidade da obra.
Quando você chega às duas horas à frente da tela pede que algum super-herói apareça na vida real e acabe com seu sofrimento. O filme não acaba! É mais imortal que o Super.
O roteiro é sofrível, confuso, e o filme só deve agradar quem espera apenas pelas cenas de ação, público de games.


Destaco três pontos desastrosos:

. Batman está pronto pra matar Superman, quando este sussurra "Martha". E aí nos damos conta que as mães de ambos têm o mesmo nome. E isso é a única coisa importante no filme. De algoz, Batman passa a "amigo" e vai salvar a senhora do Kansas.

. Rejeitado pela opinião pública e pela mídia golpista, Superman entra em depressão (aí está uma fragilidade pouco conhecida) e aparece de barba no alto de uma montanha onde encontra o fantasma de Kevin Costner. No instante seguinte reaparece para pegar a namorada que tinha sido jogada do alto de um prédio (até aí nada demais, porque salvar a namorada é a sua especialidade) e sem barba! Passei o resto do filme me perguntando, "como Superman faz a barba? Existe um Prestobarba com lâminas de kriptonita?".

. E a vergonha alheia com todos os momentos do jovem Lex Luthor, uma ofensa à tradição do vilão, que recebe a incumbência de encerrar o filme avisando: "vai ter continuação, ding, dong".


Ben Affleck já tinha estragado o Demolidor, numa das adaptações de HQ mais toscas de todos os tempos. O cara não dá sorte. 

Ah, esqueci de mencionar, Superman morre no filme.

28 de junho de 2016

VOU SENTIR FALTA DISSO

video

Eu com cartão de crédito


PERSONAL

Alguém podia sugerir que o Sergio Moro investisse numa consultoria de estilo? Como tem tido muita visibilidade, seria bom que trocasse esse visual "mafioso de filme" por alguma coisa mais elegante.

Não que eu ache que isso afete a imagem ou o trabalho dele, mas ficaria mais agradável. Essa combinação de tons escuros e às vezes com gravata colorida é mais coisa de bandido.

GAME OF THRONES É FEMINISTA


Consegui sua atenção?

Então vamos lá. Talvez não seja exatamente feminista ou pelo menos não tenha essa intenção, mas não se pode ignorar o poder delas na história. Diferente do Senhor dos Anéis, por exemplo, onde os grandes protagonistas são quase todos homens, em GOT as mulheres não são apenas inteligentes e hábeis estrategistas, como fortes no combate com espada. Ouvi que o autor George Martin teria dito que "apenas tratou as mulheres como pessoas".

E esse aspecto é bem dosado, uma vez que também há homens fortes e inúmeras cenas em que elas são humilhadas. Nenhuma dessas personagens fortes foi empoderada gratuitamente ou por artifício do autor. O crescimento delas é construído com narrativas consistentes, a base de muito sofrimento e força interior.

Daenerys Targaryen, a mãe dos dragões; as irmãs sobreviventes Sansa e Arya Stark; a protetora de Sansa, a incrível  Brienne de Tarth e a minha favorita, a rainha da maldade, Cersei Lannister, apenas para citar algumas.

Se tem preconceitos, supere. A série é uma das melhores já feitas até hoje.

22 de junho de 2016

DE COMO CUNHA MANIPULOU A HISTÓRIA DA HUMANIDADE

De férias, Dilma atualiza sua leitura e descobre fatos importantes.
O texto é meu. E a incomparável Dilma Gustavo Mendes.



21 de junho de 2016

AMIGO DA ONÇA



De maneira inédita, o legado das Olimpíadas chegou antes do evento. E é deplorável.

Ciclovia desabando, denúncias de obras superfaturadas e outras inacabadas, Estado de calamidade pública, estupro coletivo, poluição das baías e lagoas, epidemia de zika, bandidos invadindo hospitais e outros bandidos roubando o salário dos servidores.

Turistas e atletas, não se apavorem. Tudo será devidamente maquiado para o seu conforto. Porém, nada há que garanta a sua integridade. Provavelmente serão furtados nos preços elevados e na esperteza típica do brasileiro, nossa maneira de mostrar cordialidade e acolhimento.

Logo depois dos jogos, cariocas vão às urnas provavelmente eleger um espancador de mulheres e outros da mesma laia.

A Olimpíada 2016 já é um fiasco. Não tanto pelo descrito acima, que faz parte da nossa rotina banalizada. Mas pela onça. Ali tudo ficou resumido e simbolizado. Nossa natureza acorrentada para servir de cenário ao grande e grotesco espetáculo do homem civilizado. Que ao manifestar o desejo da liberdade foi abatida implacavelmente.

Se houvesse decência a tocha seria apagada em sinal de luto.


Mas esse, é o país dos amigos da onça.