Você me encontra também no Facebook e no Twitter

13 de maio de 2009

MEMÓRIA EM RUÍNAS




REPASSO E ENDOSSO

“Convidamos a todos para uma manifestação em prol da preservação do patrimônio cultural de Juiz de Fora.
Esta manifestação tem como motivo principal a demolição arbitrária de um imóvel, em processo de tombamento, situado na Av. Rio Branco, nº 3139, esquina com a Rua Delfim Moreira.

A manifestação, intitulada de "Memória em Ruínas" ocorrerá no dia 14/05/09, próxima quinta-feira, às 16:30, na Rua Delfim Moreira, em frente aos escombros do imóvel
demolido.

Obs: Todos devem vestir preto.”




A derrubada de um imóvel com importância histórica no centro da cidade traz duas conseqüências desastrosas.

A primeira é a evidente perda de patrimônio que define nossa identidade enquanto civilização, nos ligando a um fio de história.

A segunda é que, via de regra, aquele espaço ocupado por uma moradia vai receber um prédio que representa aumento da concentração de pessoas e veículos numa área cada vez mais congestionada.

Quando você se sentir prejudicado porque não suporta mais os engarrafamentos no centro da cidade, lembre-se disso.

Essa discussão tem que avançar gerando mecanismos mais eficientes para impedir ações predadoras como essa. Mas também se deve pensar em proporcionar maiores vantagens para que os proprietários se sintam estimulados a preservar seu patrimônio. Hoje, como está, a lei de tombamento é encarada como uma ameaça que desvaloriza um imóvel. Se o patrimônio tombado pertence – no fim - à coletividade, a coletividade deve dividir o ônus em mantê-lo íntegro.