Você me encontra também no Facebook e no Twitter

2 de agosto de 2011

DNA DA CORRUPÇÃO


Eu desisto!

A operação que costurou o acordo para construir o Itaquerão (o estádio do Corinthians) foi a cereja do bolo de bosta das mutretas. Não há remédio.

Isso tudo me deixou muito indignado. Mas, o que mais me incomodou foi pensar que se o estádio fosse do Flamengo eu talvez não questionasse tanto. Digo "se", porque admito a possibilidade do meu percentual genético íntegro, honesto e ético, ter atitudes dominantes.

Mas aceito, enquanto brasileiro, tenho em mim o DNA da corrupção.

Somos um país de golpistas.

É claro que isso não inclui você que está lendo esse texto e se excluindo dessa espécie.

Você, que nunca ofereceu uma gorjeta pro guarda da blitz deixar você ir sem o IPVA pago; nunca furou fila, nem baixou uma música, filme ou programa sem autorização; nunca fumou um baseado, cheirou cocaína ou bebeu antes de dirigir; nunca fez fila dupla ou parou rapidinho numa vaga preferencial à qual não se inclui; nunca sonegou impostos ou avançou sinal vermelho; nunca mentiu pra faltar ao trabalho ou às aulas; nunca colou numa prova nem comprou ingressos de cambistas; nunca comprou uma facilidade junto a órgãos públicos e nunca justificou pequenos desvios como jeitinho.

Parabéns! Você é um modelo a seguir.

Nós, o resto, padecemos da pesada influência da nossa formação enquanto nação. Afinal - e isso não desculpa, mas explica - a história do Brasil é uma história de golpes.

Se não, vejamos:

Cabral "descobriu" um mundo que tinha uns quatro milhões de habitantes. Golpe!

Que foram considerados - e ainda o são - alguma coisa entre bicho e gente para que pudesse ser tomado o que era deles, sem culpa ou dolo. Golpe, golpe!

Roubaram, mataram e escravizaram até que um deles resolveu sonegar seus pares e se transformou no nosso grande herói, baseado no princípio ético do "ladrão que rouba ladrão". Golpe!

A Independência foi um acerto entre eles, assim como a Proclamação da República. Golpe, golpe!

Alguns golpes foram declaradamente golpes, entre eles o de 64. E acabou levando um golpe disso que chamamos de estado de direito, que nunca endireitou nada. Golpe!

E os golpistas fizeram um acordo entre si e redemocratizaram o país. Golpe!

Na verdade a nossa democracia é o regime dos espertos para os espertos. Uma estrutura legal (no sentido da Lei) criada e usada para gerar benefícios infindáveis ao pequeno clube de poder. Golpe, golpe, golpe!

E nós que não somos Vips, ficamos na plateia, vaiando ou aplaudindo. E eles, fazendo a cena, fingindo que se importam com o que a gente pensa.

Vivemos nus numa floresta de pintos.