Você me encontra também no Facebook e no Twitter

29 de outubro de 2008

O PAGADOR DE PROMESSAS



A Zona Norte talvez receba um importante investimento antes do prometido, garantido, projetado, orçado, liberado, autorizado "Hospital de Urgência e Emergência": trata-se do Aterro Sanitário de Dias Tavares.

Porém, antes de seguir com esse assunto, faço um parênteses. Por que o trem chama "Hospital de Urgência e Emergência"? Não é a mesma coisa? Não podia chamar só "Hospital de Urgência" ou "Hospital de Emergência", pra economizar no tamanho da placa?

Admitindo minha ignorância (afinal só fiz 6 períodos de Medicina e essa classificação pode ter sido ensinada em um período posterior) fui na mãe de todos os burros, a internet.

Encontrei uma coisinha interessante.

O Código de Ética Médica, muito embora nos Artigos 24 e 35 trate dos casos de urgência e emergência, não define tecnicamente o que se entenda por situação médica de urgência ou emergência.

Aí, parece que alguém fez uma consulta ao órgão competente e a resposta foi melhor ainda:

"Define-se por "emergência" a constatação médica de condições de agravo à saúde que impliquem em risco iminente de vida ou sofrimento intenso, exigindo, portanto, tratamento médico imediato. Define-se por "urgência" a ocorrência imprevista de agravo à saúde com ou sem risco potencial à vida, cujo portador necessita de assistência médica imediata".

Conclusão: é a mesma coisa!

Volto, então, ao assunto inicial, o Aterro Sanitário da Zona Norte.

Primeiro, uma audiência pública solicitada pelo vereador Figueiroa, questionou diversos pontos do projeto. Nossa coleta de lixo no tempo do Demlurb custava algo em torno de R$ 60 mil/mês. Foi privatizada, passou a R$ 400 mil/mês, e com o novo contrato vai custar aos cofres a bagatela de R$ 1 milhão/mês! (ou R$ 235.000.000,00/10 anos).

Segundo, é preciso investigar se a Queiróz-Galvão - ou qualquer uma das suas subsidiárias - "investiu" na campanha de algum candidato. Há muitos interesses em jogo.

Terceiro, recebo a informação do professor César Barra da UFJF (uma autoridade em desenvolvimento regional) de que "existe uma área situada em frente ao Bairro Ponte Preta, no sopé da subida para a Barreira do Triunfo (à direita) que ainda pode ser usada, com muitas vantagens sobre Dias Tavares: 16 Km do centro; acesso pronto; vegetação degradada; possibilidade de canalizar efluente tratado pela ETE até o Rio Paraibuna que é Classe 2. Portanto, atende tecnicamente e legalmente. Tem vida útil para 63 anos".

E Custódio tem conhecimento da referida área, pois a sua identificação se deu na primeira gestão dele, quando elaborou o Plano Diretor de Limpeza Urbana, em 1996.

E quarto, todo mundo ainda lembra da denúncia sobre a concorrência da coleta de lixo que o Josemar ganhou?

Olho de Thundera neles!